Contagem regressiva

Tempo restante do último período de jornalismo:




Busca

QUEM?

Everaldo Vilela tem 25 anos e cursa o 8º período de jornalismo na PUC Minas. É Atleticano... [continua...]

Na maioria das vezes, bem humorado.

Lembre-se:
Quanto maior a dor maior o alívio.

Everaldo está no Orkut.

Tem fotos no flickr e também vídeos no youtube.

Contato: blog@everaldovilela.com

Lendo

Banalogias - Francisco Bosco

Cem Anos de Solidão - Gabriel García Márquez

Ensaio sobre a cegueira - José Saramago

ARQUIVO

Últimas postagens

[Rumo ao Hexa] - Rei não, Fenômeno!

Passatempo

Bussunda

iiiihhhhhhh Deli...

A arte de ser imbecil [ou ser tratado como um]

Barulhinho bom...

'Sem sósia de Ronaldo e Lula? Fala sério'

Rumo ao Hexa 2 - Viva o Futebol!!

Rumo ao Hexa!

Até quando?

Torcedor




101 JOGOS
49 VITÓRIAS
21 EMPATES
31 DERROTAS
Fez 185 gols e sofreu 128

Os números dos 100 jogos aqui e a lista dos confrontos aqui.

Último jogo: Galo 2 x 1 Náutico

Não deixe de ouvir

Cidadão Quem
Engenheiros do Hawaii
Os Paralamas do Sucesso
Pato Fu
Tianastácia

Não deixe de ver

Bafafa!
Blog prof. Caio Cesar
Blog do Tas
Charge OnLine
Cia Boa Notícia
Cocadaboa.Com
Comédia Stand-up
Como tudo funciona
Desencannes
Duke - chargista
Hipermeios
Le Troca
Michel Melamed
MP3tube
Música de bolso
Palavras Cruzadas
Stand-up Comedy Brasil



Clube Atlético Mineiro



Powered by Blogger



Template de Everaldo Vilela

Home • [Rumo ao Hexa] - Rei não, Fenômeno! » • Passatempo » • Bussunda » • iiiihhhhhhh Deli... » • A arte de ser imbecil [ou ser tratado como um] » • Barulhinho bom... » • 'Sem sósia de Ronaldo e Lula? Fala sério' » • Rumo ao Hexa 2 - Viva o Futebol!! » • Rumo ao Hexa! » • Até quando? »

Sobre a TV Digital no Brasil...

FOLHA DINHEIRO
Folha de São Paulo 24 de junho de 2006

Costa confirma padrão japonês para TV

Ministro das Comunicações diz que o governo fechou acordo com o Japão para implantação do sistema digital no país

Anúncio oficial da escolha brasileira será feito dia 29 deste mês, com a presença de Lula e do ministro japonês das Comunicações


PATRÍCIA ZIMMERMANNDA FOLHA ONLINE, EM BRASÍLIA

O ministro Hélio Costa (Comunicações) confirmou ontem que o governo brasileiro fechou um acordo com o Japão para a implantação do Sistema Brasileiro de TV Digital (SBTVD).
Costa disse que o ministro das Comunicações do Japão, Heizo Takenaka, estará no Brasil no próximo dia 29 para participar, juntamente com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, da solenidade em que será feito o anúncio oficial da escolha brasileira.

A Folha noticiou a escolha do padrão japonês no início de março.

O ministro afirmou que o acordo prevê o uso de tecnologia japonesa com a incorporação de inovações desenvolvidas por pesquisadores brasileiros.Entre essas inovações estão o sistema de compressão de vídeo (MPEG-4), o sistema operacional (middleware) e aplicativos (softwares), que seriam agregados ao sistema de modulação japonês no Brasil.
Segundo o representante do padrão japonês no Brasil, Yasutoshi Miyoshi, o acordo a ser assinado trata também do financiamento do JBIC (banco japonês de fomento) para a implantação da TV digital no Brasil e da proposta de trabalho conjunto para viabilizar a modernização da indústria eletrônica brasileira.

Miyoshi evitou dar detalhes da proposta japonesa negociada entre segunda e quarta-feiras desta semana, quando técnicos da indústria e dos governos japonês e brasileiro estiveram reunidos no Itamaraty, cujos termos foram aprovados ontem pelo governo brasileiro.

Sobre a instalação da fábrica de semicondutores (chips) no Brasil, o documento deverá tratar de um compromisso de formação de mão-de-obra especializada e da criação de condições no país que viabilizem a implantação dessa indústria.


Vazamento

Costa, que não está em Brasília, concedeu a entrevista após o vazamento da notícia sobre o acordo com o Japão no início da tarde, quando Miyoshi revelou que o governo do país asiático já havia tomado conhecimento da decisão.

A Folha apurou que o vazamento causou mal-estar no governo brasileiro, que considerou que a escolha da tecnologia seria uma decisão de governo, e que, portanto, a "palavra final" caberia a Lula.O embaixador do Japão no Brasil, Takahiko Horimura, recebeu a notícia por meio de telefonema do diretor do Departamento de Cooperação Científica, Técnica e Tecnológica do Itamaraty, embaixador Antonino Marques Porto e Santos, na quinta-feira pela manhã.

Segundo Miyoshi, após o Brasil escolher o sistema, que hoje está em funcionamento apenas no Japão, cresce a possibilidade de conquista de novos mercados.

A ausência de tecnologia que permitisse a mobilidade foi um dos principais argumentos do governo brasileiro para descartar o sistema americano, que tinha como principal qualidade a alta definição.Já o sistema europeu foi defendido principalmente por produtores de conteúdo, como uma oportunidade de abertura do mercado de televisão por privilegiar a multiprogramação, e também a entrada de novas emissoras no mercado, o que não agrada às grandes emissoras.

O sistema japonês, que tem a preferência das emissoras de TV brasileiras, saiu em vantagem porque era o que melhor atendias às condições impostas pelo governo brasileiro, permitindo alta definição, mobilidade (no ônibus), portabilidade (no celular) e interatividade. O avanço das negociações envolvendo contrapartidas principalmente para a indústria brasileira pesaram na escolha.Toda essa tecnologia, com imagem e som de alta qualidade, possibilidade de interatividade, entre outras vantagens, no entanto, ainda vai demorar um pouco para chegar aos lares brasileiros. As emissoras de TV estimam que poderão iniciar as primeiras transmissões da TV digital em uma ou duas capitais brasileiras seis meses após o anúncio oficial do governo, se forem definidas agora as especificações técnicas do SBTVD.


* * *

FOLHA ILUSTRADA
Folha de São Paulo, 26 de junho de 2006

Decreto da TV digital mantém "monopólio"

Daniel Castro

O decreto que o presidente Lula deverá assinar nesta semana, instituindo a TV digital no país, vai manter o "monopólio do ar" exercido pelas atuais grandes redes. O documento será um texto curto, com linhas gerais sobre a transição da TV analógica para a digital.

A Folha apurou que o decreto atenderá às reivindicações vitais das redes de TV.

Como pediram em ofício ao presidente, as redes receberão um novo canal de seis megahertz. Assim, praticamente se fecha por dez anos o espectro de UHF e VHF em São Paulo e Rio para novas redes de TV e para outros usos das freqüências, como internet e telefonia. A entrada das teles no negócio da TV aberta, tão temida pelas redes, ficará bloqueada.

O decreto não obrigará as redes a ocuparem 100% da faixa de seis megahertz. Hoje, elas precisam desse espaço para irradiar um canal analógico. Com a tecnologia digital, cabem pelo menos quatro canais de definição standard (igual à atual) nos seis megahertz.

O decreto não obrigará as redes a transmitirem sempre em altíssima definição nem vetará a divisão da freqüência em quatro canais -o que aumentaria custos das TVs. Dirá apenas que elas estão autorizadas a transmitir em alta definição (HD), para televisores top de linha, em definição standard (SD), para pequenos aparelhos como os de ônibus, e em baixa definição (LD), para celulares.

  ::: Blogger B. G. comenta:
www.sbtvd.org.br
28/6/06 01:00

Postar um comentário